Condições para a virada do turismo em Florianópolis

Por: Redação | Data: 09/05/2019 14:52:00

 

Críticas sobre o turismo permeiam as discussões sobre a atividade em todo o mundo. De Barcelona a Paris, de Machu Picchu a Nova York. Mobilidade, preços, descaracterização da cultura local, (in)segurança e questão fundiária. O surgimento de aplicativos de hospedagem e transporte se juntaram recentemente às discussões.

Florianópolis, como cidade que recebe milhões de turistas anualmente, não está ausente da situação. Os problemas da cidade são os mesmos problemas do turismo. Responsabilizar a atividade pelos problemas históricos de ocupação irregular, de mobilidade, de balneabilidade e de infraestrutura não contribui para a busca de alternativas. Além das diversas ações em vias de melhoria – como as estações de tratamento de efluentes em várias localidades, melhorias na Via Expressa, o novo acesso ao Aeroporto e o próprio novo Terminal são fatos que irão contribuir para um melhor desempenho nos próximos anos. Um destino que recebeu e recebe dezenas de prêmios, que está bem classificada em qualquer ranking de intenção ou qualidade de viagem, em diversos segmentos, segue sendo um destino competitivo.

Os últimos movimentos evidenciam uma mudança de postura da Prefeitura em relação ao turismo: estamos voltando a olhar pro mar e para os espaços públicos. Novas quadras de esportes de areia movimentadas demonstram o quanto necessitamos utilizar mais a orla, durante todo o ano; o projeto do Parque Marina na Beira Mar Norte segue em frente e seu edital deve ser lançado ainda no primeiro semestre de 2019. Além disso, os encaminhamentos para o retorno dos navios singram de vento em popa. As construções e reformas de praças e parques lançada recentemente irá recuperar quase 180 espaços pela cidade. A regulamentação das mesas e cadeiras nas calçadas é um avanço para a cidade – que se torna mais movimentada – e consequentemente – mais segura.

Na temporada 2018/2019, em parceria inédita com a iniciativa privada, temos dezenas de chuveiros do “Projeto Dax um Banho” espalhados pela ilha – e que permanecerão durante todo o ano - e nove estruturas para gerar acessibilidade aos cadeirantes – com esteiras, cadeiras-anfíbias e apoio do Corpo de Bombeiros Militar. Melhoramos, também sem custo para a Prefeitura, 70 quiosques de praia. Na próxima temporada a meta é atingir 100% de novas estruturas nas praias. Lançamos ainda a campanha de conscientização sobre uso de plástico nas praias, com ações como distribuição de copos retornáveis e esculturas de areia.

Estabelecemos parceria com a empresa Reviewr, que nos mostra, semanalmente, as avaliações em várias redes sociais, de 25 atrativos turísticos públicos em Florianópolis. Outra ação, em parceria com a empresa Smart Tour Brasil (via lei de incentivo à inovação da Prefeitura de Florianópolis) possibilitou coletarmos mais de 3000 opiniões sobre o turista durante a temporada). Com informações em mãos, foi e é possível que atuemos com mais assertividade.

Para dinamizarmos o destino temos diversas possibilidades. Possuímos atrativos naturais e culturais às dezenas, às centenas! Temos Franklin Cascaes, as rendeiras, a Fenaostra 100% Manezinha (e com entrada gratuita, no centro da cidade), a gastronomia (somos cidade criativa UNESCO!), as cervejarias artesanais - e tudo isso, para o ano todo, além de atrativos únicos, como a Costa da Lagoa e a Ilha do Campeche, entre outros. Temos possibilidades com os “board sports”, como o surf, o skate, o sandboard, o SUP, um verdadeiro ecossistema que mescla nativos e ícones nacionais – e mundiais - que escolheram Florianópolis por conta de tal ambiente. Os empreendedores são capazes e os trabalhadores qualificados e em qualificação em nossos cursos de reconhecida excelência no setor, como no IFSC e no SENAC – e cada vez mais unidos em núcleos associativos sólidos, trabalhando o turismo de experiência, o receptivo e o guiamento.

Somos competitivos no setor de turismo de eventos, o ano todo – com destaque para o RD Summit, (maior evento de marketing digital da América Latina), o Folianópolis (que traz mais de 10 mil turistas há muitos anos, com gasto médio diário estimado acima de R$ 600), o FAM – Florianópolis Audiovisual Mercosul, o Floripa Jazz Festival, os eventos técnico-científicos captados anualmente, além dos eventos esportivos -  Mountain Do, Challenge, Maratonas, entre muitos outros. Somos a Capital Brasileira do Triátlon – em 2018 recebemos – e em 2019 também receberemos - três eventos com a marca Iron Man. A nova lei municipal da desburocratização vai aumentar a agilidade para obtenção de alvarás e licenças – em consonância com a criação do Balcão de Eventos, estrutura criada especificamente para a melhoria do

Exemplo de união de setor público e sociedade civil organizada – notadamente entidades empresariais – é o Floripa Conecta, que ocorrerá em agosto de 2019. Movimento baseado no conceito do SXSW, de Austin, Texas, Estados Unidos, ele concentra dezenas de atividades relacionadas à economia criativa – como gastronomia, tecnologia, cultura, design, esportes – unindo, num mês tradicionalmente de baixa ocupação, dezenas de eventos e atividades – como a Fenaostra, a ExpoTatto, a Maratona Cultural, a Orquestra de Baterias, eventos de esportes, de tecnologia e empreendedorismo, entre muitos outros, gerando não só fluxo de pessoas e financeiros, mostrando que setores criativos podem ser grandes contribuintes não somente para solução de problemas complexos mas sobretudo mostrando o seu viés econômico e potencializador de destinos

Alguns apontamentos mostrados em pesquisas mostram que cerca de um terço dos turistas que nos visitaram na temporada são estrangeiros (sendo que Argentina, Paraguai, Chile e Uruguai são mais de 90%). Dos brasileiros, mais de 90% são de um raio de até 1200km. Para diversificarmos esses números, precisamos de mais conectividade, sobretudo aérea (que mostrou aumento significativo de desembarques em relação ao acesso terrestre). Firmamos uma aliança junto à decolar.com, maior emissora de argentinos para Florianópolis. Foram mais de 50 voos na temporada 2018/2019 e todos com 100% de ocupação. Voltamos à promoção turística, com participação na FIT Buenos Aires, na BTL Lisboa e agora com previsão de participação em mais eventos B2B, com ênfase em geração de negócios. 

Outro tema estratégico em que estamos atuando - junto ao Executivo Estadual e aos Deputados Estaduais – é a diminuição da alíquota do ICMS no combustível da aviação – para podermos ser mais competitivos do que já somos – a exemplo de diversos Estados, que assim o fizeram – estimulando a conectividade e a movimentação financeira. Tal ação permite termos mais voos domésticos – além de ser um dos critérios básicos para buscarmos voos diretos para a Europa, para a América Central e do Norte, já que tais voos seriam abastecidos pelos passageiros dos voos domésticos.

Deixemos para trás a insegurança jurídica para termos possibilidade de mais investimentos. Estamos nos movimentando para deixar a cidade crescer - com menos impacto nos cidadãos - e o turismo de Florianópolis, durante todo ano, ser ainda mais forte.

 

• Vinicius De Luca Filho é Turismólogo, Doutor em Geografia (Desenvolvimento Regional e Urbano) e o atual Superintendente de Turismo de Florianópolis

 

 

Deixe seu comentário

Comentários