É preciso Planejamento

Por: Valdir Walendowsky |

O turismo é a atividade econômica que mais cresce no mundo. Em 2009, respondia por 5% da economia mundial, segundo dados do WTTC. Hoje movimenta 10% do PIB do planeta. No Brasil, o turismo representa 3,3% da economia.  Em Santa Catarina, a atividade responde por 12,5% do PIB e impacta, diretamente, a vida de mais de 700 mil pessoas.

Santa Catarina é o terceiro estado do Brasil em número de turistas estrangeiros e o segundo em turismo de lazer. A nossa capital, Florianópolis, é a terceira cidade do país em atração de eventos. Além disso, Santa Catarina conquistou pela sétima vez consecutiva o título de melhor estado turístico do Brasil.

A cada ano, o Estado recebe mais de 11 milhões de visitantes de outros estados; um milhão de estrangeiros, e oito milhões de turistas catarinenses viajam em Santa Catarina.

Esses números são resultados do trabalho e do esforço desenvolvidos conjuntamente pelo trade turístico e pelo governo catarinenses nos últimos anos. Os órgãos públicos ligados ao turismo e o trade estão sintonizados; têm objetivos comuns e trabalham com o mesmo foco. Esta atuação conjunta vem propiciando a consolidação de uma política de Estado para o setor.

Ao movimentar 15 bilhões de reais por ano em Santa Catarina, o turismo firma-se como setor fundamental da economia e precisa ter metas de longo prazo e trabalho continuado. Como gerador de riquezas, o turismo tem também uma função social fundamental, por gerar emprego e inclusão.

O papel do governo, através da Secretaria e também da Santur, é estimular a atividade, criando as melhores condições para que se desenvolva e se aprimore.

Acredito que a principal contribuição do governo do Estado ao setor é manter o foco no planejamento, para que os recursos previstos estejam assegurados e distribuídos de forma racional e equilibrada, com absoluta transparência. Outro ponto importante é a promoção do turismo interna e externamente, através do Plano Catarina de Marketing 2020, ação que beneficia a todos.

Para fortalecer o turismo como peça fundamental da economia o governo precisa, ainda, atuar firmemente no combate à sazonalidade. Isto significa investir no turismo de eventos e negócios, garantindo a infraestrutura necessária à captação. É o que estamos fazendo. Nunca se investiu tanto como agora na construção de centros de eventos – que beneficiam, conjuntamente, as áreas de turismo, cultura e esporte -, nos acessos a regiões turísticas e em sinalização, por exemplo.

Por determinação do governador Raimundo Colombo, o Pacto por Santa Catarina também contempla importantes obras de infraestrutura rodoviária e aeroportuária, como a pavimentação da SC-403 e o empenho, junto ao Governo Federal, pela liberação do aeroporto de Jaguaruna. São obras que permanecem e possibilitam as demais iniciativas dos diversos segmentos.

Dois outros projetos, em fase de implementação, têm atenção especial da Secretaria porque, com certeza, terão grande impacto econômico e social. São eles o planejamento turístico de cidades com vocação turística e o SC Rural, que está capacitando os pequenos produtores rurais para que possam integrar a cadeia produtiva do turismo.

Além disso, estamos investindo também na conservação e recuperação de equipamentos culturais, como o Centro Integrado de Cultura e os museus, como o do Mar e o TAC, por exemplo, porque, além do valor que têm em si, também enriquecem e qualificam muito o turismo catarinense.

Deixe seu comentário

Comentários