Novo eixo para a economia de SC

Por: Vinícius Lummertz | Data: 19/08/2015 14:53:00

Essa diversidade evidencia o potencial turístico catarinense, que pode consolidar o turismo como um novo eixo da economia estadual.

Nos últimos anos, o turismo no Brasil e em SC tem crescido mais que a economia nacional. Em 2014, o país recebeu mais de 6,4 milhões de turistas estrangeiros, que movimentaram U$ 6,914 bilhões, maior volume nos últimos 10 anos; além das 208 milhões de viagens internas, segundo dados do Ministério do Turismo. Chega o momento de o Estado enxergar o turismo de forma transversal, como plataforma para alavancar o desenvolvimento local.

O modelo de veranismo de Florianópolis e das cidades catarinenses precisa evoluir para planos superiores de competitividade global. O turismo deve funcionar como fator de integração e de multiplicação dos potenciais que o setor mobiliza. Arte, cultura, gastronomia, negócios, cidades sustentáveis, parques naturais, economia criativa e planejamento urbano são itens que fazem parte desse novo momento. E, para isso, é fundamental ampliar a qualificação de quem atua na área, sempre em parceria com os setores público e privado.

Um modelo sustentável exigirá a revisão de antigos dogmas, como a própria história econômica catarinense, tão dependente da industrialização e da exportação. A oferta de serviços com valor agregado pode melhorar o ambiente de negócios e atrair mais investidores. Cito o exemplo da náutica, área que o Estado já explora, por meio das regatas, eventos e moda, mas cujo potencial pode ser ampliado, gerando novos empregos e mais renda. Além da qualificação, a mudança de eixo da economia local que estamos propondo exigirá maior integração com os mercados da América Latina.

 

Vinícius Lummertz é presidente da Embratur 

 

 

Deixe seu comentário

Comentários