Rede de Trilhas e Anda Brasil promovem integração das trilhas e caminhadas na natureza

Por: Rafael Freitag | Data: 05/11/2019 16:58:00

Rafael  Freitag

 

Que caminhar na natureza é uma das melhores atividades para se realizar, seja sozinho, com os amigos ou em família, isto a sabedoria popular e a ciência já comprovam há tempos.

Pensando nisto, um grupo de caminhantes de quatro países decidiram criar uma organização internacional com objetivo de promover as atividades ao ar livre, de forma não competitiva (caminhadas, pedaladas, esqui de fundo e natação), e que valorizassem o intercâmbio cultural entre as pessoas. Assim começou no ano de 1968 o Instituto dos Esportes Populares – IVV, com sede na Alemanha e presente em 40 países, tendo mais de 22 milhões de praticantes associados. As práticas de lazer em meio a natureza são traços da cultura de diversos países, com destaque para a Europa, porém vêm ganhando adeptos todos os dias.

Neste momento de crescimento dos esportes na natureza, o Brasil tem destaque no cenário internacional, reconhecido pela diversidade e beleza da natureza. Para promover os esportes populares no meio rural brasileiro, criando uma ponte entre o urbano e o rural, foi criada a Confederação Brasileira dos Esporte Populares – Anda Brasil, como objetivo promovendo os esportes populares, (caminhada e pedalada) na agricultura familiar brasileira.

Nos 13 anos de atuação a Anda Brasil foram realizados mais de 600 circuitos de caminhadas, em 20 estados brasileiros, reunindo milhares de pessoas que tiveram a oportunidade de vivenciar um dia especial nas suas vidas. Com apoio da tecnologia da informação (Sistema Ecobooking) os caminhantes têm todas as facilidades para dar um mergulho no Brasil rural. Atualmente são cerca de 300 circuitos em operação em 08 estados, percorridos anualmente por mais de 180 mil caminhantes.

No Brasil os circuitos de caminhadas na natureza ocorrem uma vez por ano, assim os caminhantes têm acesso ao carimbo internacional do IVV, porém a modalidade muito difundida na Europa, os chamados circuitos de longa distância, vem crescendo no Brasil e atualmente são cadastrados cinco circuitos de longa distância, totalizando 523 km de caminhadas nos três estados do Sul.

  1. Circuito de Longa Distância João Luiz do Pozzobon/RS — 80 km
  2. Circuito dos Tropeiros – Mandirituba/PR | Lapa/PR  — 71 km
  3. Circuito da Integração Mandirituba/PR | Campo Alegre/SC — 49 km
  4. Circuito do Vale Europeu Catarinense – Timbó | Indaial | Rio dos Cedros | Benedito Novo | Pomerode | Dr Pedrinho | Rodeio | Apiúna — 223 km
  5. Caminho do Desafio das Catedrais – Londrina | Maringá/PR  — 130 km

O potencial que o Brasil tem de crescimento dos circuitos de caminhadas na natureza, sejam eventuais (uma vez por ano), ou permanente, nos permite afirmar que podemos chegar a mais de 1 mil circuitos de caminhadas em todo território nacional. Como o associativismo faz parte desde a concepção do IVV, como da Anda Brasil, as novas parcerias são necessárias para ampliarmos o acesso ao lazer em ambientes naturais, tanto para as pessoas das cidades, como as pessoas que vivem em meio a natureza.

Neste sentido a criação da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, é estratégica para a integração das diferentes ações que incentivam as caminhadas na natureza. Um esforço que teve como ponto de partida a criação do Sistema Brasileiro de Trilhas de Longo Curso, no contexto do Programa Conectividade de Paisagens – Corredores Ecológicos, em atendimento à demanda do ICMBio e instituída por portaria do Ministério do Meio Ambiente. O Sistema Brasileiro de Trilhas de Longo Curso tem até o momento, seis grandes corredores, com o maior deles cruzando o litoral brasileiro do Oiapoque ao Chuí; no Norte a Trilha Chico Mendes, no Nordeste a Trilha Velho Xico, no Centro a Trilha Missão Cruls; no Sul os Caminhos do Peabiru e no Sudeste a Estrada Real. O total chega aos 18 mil km, onde até o momento já são mais de 2 mil km sinalizados e mais de 2 mil km em fase de adequação.

Como o Sistema Brasileiro das Trilhas de Longo Curso tem a missão de crescer e integrar as trilhas, acreditamos que os Circuitos Internacionais de Caminhadas na Natureza podem somar no fortalecimento da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, assim a partir do termo de parceria que consolidamos, a Anda Brasil passa a adotar o modelo de sinalização da bota preta e amarela, como o modelo de sinalização dos circuitos de longo curso cadastrado nacional e internacionalmente. 

Esta integração tem como objetivo ampliar e qualificar os circuitos de longo curso e reforçar a Rede de pessoas e entidades que trabalham em prol das trilhas e caminhadas na natureza no Brasil!

Juntos vamos mais longe!

 

* Rafael Freitag é turismólogo, professor e consultor (Parla Turismo).

Deixe seu comentário

Comentários