Conheça 8 megatendências para o Turismo em 2019

Por: Redação | Data: 27/11/2018 09:07:00

 

Ter acesso a uma base de dados com nove dígitos faz da Booking.com uma voz importante no mercado quando o assunto é o subjetivo exercício da futurologia.

Não é qualquer um que se arrisca a prever tendências para o ano que está por vir, mas com mais de 163 milhões de avaliações e a opinião de 21,5 mil viajantes de 29 países, foi justamente isso o que a Booking.com fez.

Confira abaixo as oito principais tendências traçadas pela empresa para a indústrias de viagens em 2019:

 

APRENDER VIAJANDO

Os viajantes querem se motivar. Suas jornadas não vão excluir a contemplação e o divertimento, mas o aprendizado vai moldar cada vez mais as escolhas dos turistas. Para 56% dos entrevistados, suas viagens passadas lhes deram ensinamentos importantes para suas vidas.

A aposta da companhia é que em 2019 haverá um aumento no desejo de aprender uma nova habilidade enquanto viajando. Dentre as viagens com propósito mais comuns, 68% dos turistas consideram fazer intercâmbios culturais – voluntariado (54%) e experiência profissional estrangeira (52%) são os outros destaques.

 

FÁCIL E NA PALMA DA MÃO

Já se foi o tempo em que tecnologia era sinônimo de mudanças espalhafatosas ou dispositivos revolucionários. Isso pode até existir, mas o viajante está ligando mais para que os processos sejam simplificados. Segundo a previsão, a inovação que vai ganhar espaço é aquela que se mostrar a mais prática possível para o consumidor.

Para 57%, o rastreamento em tempo real de suas bagagens é a tecnologia mais bem recebida, ao lado de um app que reúna todo o planejamento da viagem (também 57%) – bem mais relevante que o “espetaculoso” transporte em veículos autônomos (40%). Um agente de viagens virtual em casa, com ativação por voz, brilha os olhos de 31% dos entrevistados, enquanto que 20% se interessa por realidade aumentada na familiarização de um destino novo.

 

A TERRA FICOU PEQUENA
Uma projeção um pouco mais longeva é a do Turismo interespacial. Agências de exploração espacial e companhias privadas investem bastante para que em pouco tempo civis possam optar por umas férias galácticas. Para 40%, a expectativa é grande para esse futuro das viagens espaciais – sendo que 38% afirmam considerar possibilidade de realizar a experiência.

Enquanto isso não acontece, há uma demanda aquecida por destinos remotos e intocados, afirma o estudo. A previsão é que 2019 apresente novidades inimagináveis no setor de hospedagem, o qual desperta interesse de 60% das pessoas quando a possibilidade são hotéis debaixo d’água.

 

O GUIA SAI, A RECOMENDAÇÃO FICA

Guias de viagens já ajudaram muita gente ao longo das últimas décadas e não devem sumir tão logo. No entanto, tais publicações devem perder relevância no futuro próximo, com o surgimento de guias digitais, algo desejado por 52% dos ouvidos na pesquisa.

Há uma parcela menos proativa (34%) que não vê a hora das máquinas fazerem o serviço, e ainda 41% que desejam ver Inteligência artificial personalizando recomendações de acordo com o histórico de viagens e experiências.

 

VIAGENS CONSCIENTES
Questões sociais podem afetar a escolha de viagem para 49% dos entrevistados. De todos os ouvidos, 58% dizem recusar um destino em que sintam que sua presença irá ter um impacto negativo na vida dos locais. Opiniões como estas mostram que o Turismo tem absorvido o crescente interesse global por assuntos relacionados a direitos humanos, igualdade e condição de trabalho. De acordo com os dados da pesquisa, 19% cogita participar de um festival de orgulho LGBTI+ em 2019 – sendo que o público a afirmar isso é predominantemente jovem, com 30% na faixa entre 18 e 34 anos.

 

EXPERIÊNCIAS SUSTENTÁVEIS
Tanto viajantes quanto fornecedores têm se preocupado em reduzir o impacto que suas presenças produzem no meio ambiente, o que se reflete na busca por experiências sustentáveis (para os turistas) e na redução do uso de plástico (para hoteleiros).

A pesquisa mostra que 86% das pessoas estão dispostas a reservar algum tempo de suas viagens para atividades que possam compensar o impacto que suas estadas têm na natureza. Do total, 37% gostaria de ver praias e atrações turísticas livres de lixo e plástico.

 

EXPERIÊNCIAS, MAIS EXPERIÊNCIAS
Viagens e experiências estiveram densamente atreladas durante 2018, mas segundo as estimativas, essa tendência deve se aprofundar ainda mais no ano que vem. O mercado já percebeu isso, mas a pesquisa atesta que, para 60%, experiências são mais valiosas do que bens materiais.


No ano que vem, 42% planejam visitar destinos que os façam relembrar os tempos de criança. A expectativa, portanto, é que atrações e hospedagens invistam no lúdico sabendo que as “criancices” serão aproveitadas também por adultos (e principalmente pelas gerações millennial e Z).

 

ESCAPADINHAS
Aproveitar feriados prolongados para viagens curtas e em destinos próximos é outra tendência para 2019, um desejo para pelo menos 53% dos entrevistados. Com menos tempo para aproveitar, é imprescindível saber onde ir, onde dormir, onde comer. Por isso, irá crescer também a demanda por indicações ou, se possível, uma completa curadoria de destinos. A projeção é que as micro viagens se tornem cada vez mais variadas e personalizadas.

Deixe seu comentário

Comentários