Conteúdo turístico deve incluir o Turismo Acessível

Por: Redação | Data: 08/09/2021 10:22:00

Texto original de Catherine Mack. Tradução: Clara Carybé

 

A pandemia nos forçou a priorizar a nossa saúde e a de outros. Pessoas com necessidades de cuidados físicos e mentais se tonaram centro de atenção e foram priorizadas. É tempo, então, de trazer esse cuidado e conscientização para o turismo. Devemos nos perguntar: “o compromisso de garantir às pessoas com deficiência física ou intelectual direitos iguais de inserção aos modelos de turismo sustentável vai avançar?”. Certamente esperamos que sim e gostaríamos de estar à frente deste movimento que já tardou muito a começar.

Criação de conteúdo turístico inclusivo e com rico valor informativo

Fazer turismo acessível para todos é um processo complexo e às vezes caro. Essa é a razão pela qual empresas de turismo sempre o colocam no final da fila de prioridades. Verdade seja dita, muitos somente aderem aos requisitos legais básicos, o que não gera engajamento quando se trata de convidar todos a viajar.

Entretanto, o que as empresas de turismo não percebem é que a quebra de barreiras sempre começa com algumas ações simples. Uma delas é criar conteúdo com muito valor informativo. A maioria das pessoas com deficiência, seja ela motora, visual, auditiva ou cognitiva, querem acesso rápido e fácil a informação para que possam fazer suas reservas. Mesmo assim, frequentemente, têm que peneirar as informações encontradas em inúmeros websites para chegar a alguma que lhes sirva.

Um conteúdo adequado pode vencer o medo

Ao não oferecer informação adequada e fazer da reserva um processo difícil, você já está discriminando. Atualmente, quando ainda estamos aprendendo a apoiar todos os grupos da sociedade, é vital que finalmente levemos em consideração as necessidades das pessoas quando criamos produtos turísticos e fazemos promoção de um destino. Uma das dificuldades mais comuns que enfrentam as pessoas com deficiência é não saber o que vai encontrar no destino e isso para muitas pessoas aumenta o medo de aventurar-se. O conteúdo adequado pode conquistar esses medos e fazer da viagem um prazer para todos. Essas frustrações levaram à criação de um ótimo aplicativo financiado coletivamente, o Access Now, com informações geradas por viajantes em mais de 30 países e esse número está aumentando. Esse é, sem dúvida, um aplicativo sem igual, mas acreditamos que é hora de os destinos também transmitirem informações.

conteúdo acessível

Foto: Zachary Kyra Derksen

Produzindo conteúdo para pessoas com deficiência: as melhores dicas

Com que frequência você vê (cadeira de rodas são bem-vindas) entre parênteses em um conteúdo turístico? Queremos não só remover as barreiras no turismo, mas também os parênteses. Primeiro, pessoas com deficiência não se resumem àquelas que usam cadeiras de rodas. Segundo, elas são turistas como quaisquer outros e merecem uma aba em seu site como quaisquer outras. Tratando-se de hospitalidade, conteúdo turístico acessível nunca deveria estar em segundo plano ou apenas nas letras miúdas para satisfazer um requisito legal. Crie uma aba inicial, melhor se forem várias, com vídeos, áudios e textos que possam ser compartilhados e que ajudem pessoas com as mais variadas deficiências.

É hora de preencher os espaços vazios

Todos sabemos que conhecimento é poder, mas é possível multiplicar isso por dez ao oferecer informações inspiradoras para as pessoas com deficiência. Não é suficiente dizer que seu hotel está adaptado para cadeiras de rodas. É necessário informar as dimensões, as plantas, vídeos ou fotos informativas. Há passarelas ou praias para pessoas com mobilidade reduzida, mas há sinalização em braile ou audioguias? Existem espaços silenciosos para pessoas com autismo ou com deficiência intelectual? A sua é uma das cidades mais acessíveis do mundo?

Essa lista deve aumentar para que se possa antecipar às necessidades dos viajantes, pois a adaptação ao turismo acessível é uma curva de aprendizagem. Está okay informar que não é possível atender a todos no momento, mas que há um esforço para que isso aconteça. O importante é informar. É impressionante, por exemplo, quando se faz todo o possível para atender alguém com intolerância a glúten, mas se essa pessoa pede para guardar o remédio em local refrigerado todos ficam paralisados. É definitivamente hora de preencher os espaços vazios. O site do Visit England tem excelentes casos de estudo sobre acessibilidade.

As pessoas estão desafiando limites

No passado, em parte pela atitude da sociedade, mas também pela falta de inclusão no turismo, as pessoas com deficiência não se arriscavam quando escolhiam o que fazer nas férias. Entretanto, isso está mudando e o turismo acessível começa a se conectar com o turismo de aventura. Então se você tem uma empresa de passeios de caiaque, passeios à vela ou mergulho, por exemplo, é hora de olhar para seu público-alvo novamente e criar um conteúdo inclusivo. Seja para safáris em busca de gorilas em Ruanda, seja para um passeio a cavalo na Caledônia, o site de turismo sustentável responsibletravel.com apresenta uma ampla gama de opções de turismo inclusivo. Se você quiser uma visão mais abrangente, a palestra no Ted Talk de Sue Austin, que pratica mergulho em uma cadeira de rodas, é emocionante e linda.

Entenda o ambiente e as informações sobre turismo acessível

Além de entender o ambiente e reconhecer que a inclusão é imprescindível, as estatísticas mostram que o turismo acessível é uma atividade em crescimento, não somente devido ao envelhecimento da população. Viagens multigeracionais, viagens de pessoas desacompanhadas e turismo de aventura são mercados para serem explorados em termos de conteúdo e todos esses podem incluir pessoas com deficiência. Uma pesquisa europeia prevê para o turismo acessível um aumento potencial de receita de 65% entre 2005 e 2025, levando-se em consideração que oferecer serviços para pessoas com deficiência significa oferecê-los também aos seus amigos e parentes.

Fotografias e vídeos de viagens inclusivos

Da mesma forma que as empresas estão despertando para o fato de que fotografias e vídeos devem representar todos os grupos da sociedade, essas peças também precisam incluir pessoas com deficiência. Já ficaram para trás os dias em que a sociedade escondia as pessoas com deficiência. Sendo assim, onde estão essas pessoas no imaginário da indústria do turismo? O turismo precisa ser inclusivo. Ao produzir vídeos que compartilhem histórias de pessoas com deficiência viajando, sejam elas amantes da cultura, observadoras de aves ou praticantes de natação em águas abertas, precisamos compartilhar o prazer da viagem.

Faça seu próprio site acessível

Planeje tornar seu site de viagens acessível, conversando sobre os custos e a logística de fazê-lo com especialistas. Exemplos de alterações que você pode fazer incluem a inserção de código que permite aos deficientes visuais usarem software de texto para voz e/ou hardware de texto para Braile. Ou apenas alterando o tamanho e a cor da fonte. Existem muitas maneiras simples de adaptar sites para ajudar as pessoas com problemas de mobilidade. No entanto, você não precisa fazer todas essas mudanças técnicas para receber os viajantes com necessidades de acesso. Você pode começar imediatamente, simplesmente alterando sua estratégia de conteúdo.

Turismo Acessível e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas

Se você precisa de mais razões para priorizar a inclusão em sua política de sustentabilidade, não precisa ir além da Organização Mundial do Turismo (UNWTO). No artigo “Promoting acessible tourism for all”, a organização nos lembra no objetivo 11 que ter cidades e comunidades sustentáveis está entre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS 2015). A European Network for Accessible Tourism (em português, Rede Europeia para o Turismo Acessível) é pioneira no impulsionamento da inclusão no setor. O site da rede está repleto de informações e estratégias e é leitura imprescindível para todos que querem mudar a maneira como promovem o turismo sustentável. Se quiser um excelente artigo acadêmico bastante detalhado leia Accessibility and Inclusive Tourism Development: Current State and Future Agenda, publicado pela MDPI (site de publicação acadêmica) em 2020.

 

Viajando para um destino

Não deixe de ajudar os viajantes em sua seção “Como chegar ao destino”. Mesmo que você não possa dar todas as informações, é possível melhorar dentro de suas possibilidades. O que as companhias aéreas locais, de trem ou de ônibus, de aluguel de bicicleta, entre outros, oferecem em termos de assistência aos viajantes? Se eles não têm essas informações, está na hora de convidá-los para a festa da inclusão.

Compartilhar é cuidar

Para as pessoas com deficiência, conteúdo nunca é demais. Você vai ajudar pessoas que querem viajar, mas se debatem tentando encontrar o lugar certo que possa garantir uma acolhida digna e sem discriminação. É possível produzir uma estratégia de conteúdo que destaque todas as maneiras pelas quais você pode mostrar sua empresa como um líder em inclusão. Como diz o Conselho Mundial de Viagens e Turismo (World Travel and Tourism Council) em seu guia Inclusive and Accessible Travel Guidelines: “Pessoas com deficiência não devem ser negligenciadas quando se cria experiências de viagem. Oferecer viagens acessíveis é, ao mesmo tempo, um imperativo social e uma oportunidade de negócios.”

Deixe seu comentário

Comentários