ata pede por testes sistemáticos de Covid19 antes do embarque

Por: Redação | Data: 24/09/2020 08:51:00

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) pediu, recentemente, o desenvolvimento e a implementação de testes de Covid-19 rápidos, escalonáveis e sistemáticos para todos os passageiros antes do embarque, como alternativa à quarentena para restabelecer a conectividade aérea global. A Iata trabalhará por meio da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) e com as autoridades de saúde na implementação rápida dessa solução.

Mais de meio ano se passou desde que a conectividade global foi paralisada depois que os países fecharam suas fronteiras para lutar contra a Covid-19. Ao todo, as viagens internacionais estão 92% abaixo dos níveis de 2019. Mesmo com a reabertura cautelosa das fronteiras de alguns países, a retomada tem sido limitada já que as medidas de quarentena inviabilizam as viagens e até mesmo impossibilitam planejamentos, visto que mudam constantemente.

“A saída para restaurar a liberdade da mobilidade entre as fronteiras é o teste sistemático de Covid-19 de todos os viajantes antes do embarque. Assim, os governos terão a confiança necessária para abrir suas fronteiras sem modelos de risco complicados com mudanças constantes nas regras de viagens. O teste de todos os passageiros garante às pessoas a liberdade de viajar com confiança. E isso colocará milhões de pessoas de volta ao trabalho”, disse Alexandre de Juniac, CEO da Iata.

O custo econômico da suspensão da conectividade global coloca o investimento em uma solução de teste para abertura de fronteiras como uma prioridade para os governos. Atualmente, as receitas perdidas devem ultrapassar US$ 400 bilhões, com estimativa de perda líquida recorde acima de US$ 80 bilhões em 2020, em um cenário de recuperação mais otimista do que de fato ocorreu. Por isso, cada vez mais, a abertura de fronteiras tem sido prioridade para os governos.

“A segurança é a prioridade principal da aviação. Somos a forma mais segura de transporte porque trabalhamos juntos como um setor com governos na implementação de padrões globais. Com o custo econômico associado ao fechamento de fronteiras aumentando diariamente e o registro de uma segunda onda de infecções, o setor da aviação deve recorrer a essa capacidade para se unir aos governos e provedores de testes para encontrar uma solução de teste rápido, preciso, de baixo custo, fácil de usar e escalonável, que permitirá ao mundo se reconectar e se recuperar com segurança”, afirmou de Juniac.

Opinião pública

A pesquisa de opinião pública da Iata revelou forte apoio aos testes de Covid-19 no processo de viagem. Cerca de 65% dos viajantes pesquisados concordaram que a quarentena não deve ser exigida se o teste de uma pessoa der negativo para a doença. Além disso, 84% das pessoas concordam que todos os viajantes devem fazer o teste; e 88% disseram estar dispostos a fazer o teste como parte do processo de viagem.

Além da abertura de fronteiras, as pesquisas de opinião pública também indicaram que os testes ajudarão a reconstruir a confiança dos passageiros na aviação. Os entrevistados identificaram a implementação de teste de Covid-19 para todos os passageiros como uma medida eficaz para que se sintam seguros, perdendo apenas para o uso da máscara.

Aspectos Práticos

A Iata pede o desenvolvimento de um teste que atenda aos critérios de rapidez, precisão, baixo custo e facilidade de uso, que possa ser administrado sistematicamente sob a autoridade dos governos, de acordo com os padrões internacionais acordados. A organização busca essa medida por meio da OACI, que lidera os esforços para desenvolver e implementar padrões globais para a operação segura de serviços aéreos internacionais em meio à pandemia da Covid-19.

A Iata não vê o teste de Covid-19 como um elemento permanente na experiência de viagens aéreas, mas como um ítem necessário no médio prazo para que o transporte aéreo se restabeleça. “Muitos veem o desenvolvimento de uma vacina como a solução da pandemia. Certamente será um passo importante, mas mesmo depois que uma vacina eficaz for reconhecida globalmente, o processo de produção e distribuição provavelmente levará muitos meses. Os testes serão uma solução provisória muito necessária”, complementou Juniac.

Deixe seu comentário

Comentários